Você sabe a diferença do diet e light?

Ainda pairam muitas dúvidas na cabeça das consumidoras no que diz respeito à diferença entre o light e diet. Talvez seja por causa da legislação brasileira, que permite que produtos diet sejam rotulados de light. Isso acontece com os refrigerantes, por exemplo: embora o açúcar tenha sido substituído por adoçante na fórmula das bebidas (o que as qualifica como diet), as empresas preferem usar o termo light por estratégia mercadológica.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) classifica como diet os produtos com restrição de algum tipo de nutriente ? açúcar, por exemplo. Também se encaixam na categoria alimentos com isenção total de gordura, sódio, carboidratos ou proteínas. Essas alterações são feitas visando pessoas com regimes especiais, como diabéticos, hipertensos, gestantes ou alérgicos. Já as versões light são aquelas que, em relação à fórmula original, têm uma redução mínima, de 25%, da quantidade de qualquer ingrediente, como o próprio açúcar, gordura e sódio.

No entanto, incorporar alimentos diet e light à sua despensa não significa sucesso na perda de peso ? as duas versões não são, necessariamente, pouco calóricas. O termo light, por exemplo, não se refere exclusivamente à quantidade de calorias. O ponteiro da balança pode subir se você comer um alimento em dobro com esse selo.

O chocolate diet, por exemplo, apesar de não conter açúcar, possui até 20% mais gordura do que o tradicional. Já o sal e o shoyu light, se consumidos com moderação, são mais saudáveis por terem até metade do sódio da fórmula clássica, evitando hipertensão e retenção de líquidos.

 

Seja o que for, consultar o rótulo dos alimentos antes de se decidir por um ou outro ajuda na possibilidade de uma escolha certa. E para desfilar por aí com um corpo esbelto e de causar inveja, que tal conhecer os tratamentos da @OnoderaEstetica? Então agende agora mesmo uma avaliação personalizada gratuita na unidade mais próxima.