Sim, a pipoca faz bem à saúde

Você sabia que a pipoca, aquela velha companheira do cineminha de domingo, não é tão prejudicial à saúde como muitos pensam? Segundo uma pesquisa divulgada recentemente pela American Chemical Society, o milho estourado pode trazer grandes benefícios à saúde. Isso porque esse alimento pode ter o mesmo nível ? ou até mais ? de antioxidantes do que algumas frutas e vegetais, como maçã e pera.

De acordo com cientistas da University of Scranton, nos Estados Unidos, a quantidade de polifenois (um tipo de antioxidante) encontrada em cerca de 20 gramas de pipoca representa, em média, 13% do consumo diário recomendado dessa substância. Por isso, a pipoca é apontada como uma aliada na prevenção de doenças cardiovasculares, neurológicas, envelhecimento precoce e até mesmo câncer.

Além disso, a pipoca ainda contribui para a saciedade e bom funcionamento do intestino, já que possui muitas fibras. Outras propriedades presentes na pipoca são o ácido fólico, bom para problemas cardiovasculares, magnésio e as vitaminas B1 e B2.

Porém, mesmo com todos esses benefícios e nutrientes, a pipoca não substitui outros itens da dieta. O perigo do excesso de gordura e sal usado no preparo dessa comida, principalmente na de micro-ondas, não pode ser esquecido. O óleo, a margarina e a manteiga podem aumentar muito a quantidade de calorias e consequências nocivas ao corpo, enquanto o sal e os temperos especiais podem fazer crescer os níveis de sódio, tirando as vantagens de consumir a pipoca.

Ou seja, pipoca boa é aquela consumida moderadamente e com pouco sal e pouca manteiga.
Dica Onodera:
Além de uma boa alimentação, o corpo merece e precisa de eficientes tratamentos estéticos. A massagem Onofit, realizada com luvas com esferas e em movimentos rítmicos e vigorosos, aumenta a circulação, oxigenação e nutrição dos tecidos, além de ajudar na reorganização das células de gordura, melhorando o contorno corporal.