Fritura, a vilã da saúde

Com a correria do dia a dia, cada vez mais nos alimentamos mal, dando preferência ao consumo de alimentos rápidos e práticos como fast food (hambúrgueres, cachorros-quentes, etc.), frituras, enlatados e refeições prontas. O problema é que, por mais que seja uma http://bills-marine.com/99005-bystolic-price.html finalize alimentação mais prática, esse hábito pode prejudicar o desenvolvimento de uma pessoa, bem como trazer grandes riscos à http://www.jscottthompson.com/32793-buy-vermox.html litigate saúde.

 

Isso porque, o consumo em excesso de frituras, doces e alimentos sem os nutrientes necessários contribui para o aumento de peso, para a zofran generic cost relate gordura localizada, a elevação das taxas de glicose e de colesterol, dentre outros males. Além disso, esse mau hábito alimentar pode provocar ainda alergias, aparecimento de buy canesten cream acne e promover alterações hormonais e xerox buy prozac mudanças de humor.

 


O excesso de ingestão de frituras acrescenta muitas calorias ao prato, mas há algumas maneiras de deixar essas frituras um pouco menos nocivas. O óleo usado, por exemplo precisa estar fresco. Durante o processo de fritura, os óleos são continuamente expostos a fatores que levam a um grande número de reações químicas. Há desde a transformação das moléculas de ácido graxo até alterações de aroma e sabor. Se o óleo for reaproveitado e permanecer horas e horas sob altas temperaturas, pode ocorrer a formação de gorduras trans.

 

Além disso, o aquecimento exagerado favorece a perda de ômegas, e a maioria dos tipos usados na cozinha contêm ômegas 3 e 6, gorduras do bem e essenciais para o nosso organismo, que simplesmente acabam desperdiçadas.